Despedida: O Núcleo Experimental de Educação e Arte

“O amor é como um grão.
Tem que morrer para germinar.” – Gilberto Gil

Estamos concluindo um ciclo de 3 anos de uma rica experiência do Núcleo Experimental de Educação e Arte no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Mesmo diante de vários desafios, reconhecemos o quanto o Núcleo criou seu lugar em tão curto espaço de tempo. Enquanto programa experimental dedicado à educação para o MAM, podemos falar em uma projeção na cidade e porque não nacional e internacional. Acrescenta-se a esta trajetória de ações, as reflexões e debates realizados nos dois seminários internacionais reunindo convidados e parcerias como o MoMA, Walker Art Center, Casa Daros, Bienal Mercosul, Observatório de Favelas, Universidade das Quebradas, Spectaculu, British Council, Fundação Roberto Marinho, entre outros. » I e II Seminário Internacional

Como dimensionar ou avaliar o papel do Núcleo? Reconhecendo a importância histórica do MAM para a cidade, o Núcleo se projetou pelo seu investimento diferencial ou experimental como parte de uma prática educativa. Assim, defendemos o MAM como lugar de criação e de múltiplas vozes, tanto no cuidado com o acolhimento quanto na irradiação para comunidades. Neste sentido, o Núcleo foi também uma escola pública de arte e escola de arte pública para uma formação e aprendizado mútuo, tanto de nossa equipe quanto do público atendido.

Nesta diversificação de cenários de aprendizagem e cidadania, citamos a realização de um programa de acessibilidade em parceira com o Núcleo de Pesquisa Cognição e Coletivos – Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFRJ (NUCC) e Instituto Benjamin Constant. A concepção e desenvolvimento dos encontros multissensoriais, apreciado e reconhecido como referência já apresentada em simpósios especializados, é um exemplo de uma experiência de aprendizagem e pesquisa para todos. » Encontros Multissensoriais

Da mesma forma, a integração entre curadoria do MAM (Luiz Camillo Osório e Marta Mestre) e Núcleo mereceu sempre uma atenção especial, como no caso dos fóruns de múltiplas vozes para a mostra Nan Goldin. Neste caso, abriu-se publicamente outro entendimento do papel educativo de uma instituição – ativar o sentido de expor e da recepção pública como espaço de reflexão e debate. » Ação Conjunta

Os ateliês com artistas e educadores para famílias nos fins de semana e as inovações de ações interpretativas dialogais nas galerias e nos jardins do MAM, provocaram novas possibilidades e desafios das experimentações artísticas-pedagógicas. » Destaques

O experimental para o Núcleo foi também traduzido pelo envolvimento e colaboração com artistas na sua programação de atividades especiais, tais como, Alex Hamburger, André Renaud, Ascânio MMM, Cabelo, Carlos Vergara, Claudia Bakker, Domingos Guimaraens, Edmilson Nunes, Elisa Bracher, Enrico Rocha, Ernesto Neto, Fernando Codeço, Gabriela Gusmão, Guilherme de Carvalho, Guilherme Vaz, José Bechara, Laura Erber, Leo Stefano, Luiza Baldan, Manuel Caeiro, Marcos Cardoso, Pedro Victor Brandão, Ricardo Basbaum, Ricardo Ventura, Tatiana Blass, Tatiana Grinberg, Virgínia Mota, Vitor Cesar, Yonamine, entre outros pesquisadores, colaboradores e organizações, buscando aprofundar ou aproximar as relações entre práticas artísticas e o público. » DouAções

O Núcleo também trouxe para o MAM novos horizontes de redes de colaboração tais como o envolvimento da instituição junto às organizações sociais, como por exemplo, a Spectaculu, Papel Pinel, Coletivo Briza, CPMA (Central de Penas e Medidas Alternativas) de Niterói, Pimpolhos da Grande Rio, Luta pela Paz, Retiro dos artistas, CAT Terreirão, Cinco Visões, Casa da Arte de Educar, Casa da Arte de Vila Isabel, Instituto Terrazul, Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, A Casa e Associação de Moradores do Conjunto Habitacional Pedregulho, onde foram realizadas visitas recíprocas: MAM na Comunidade e Comunidade no MAM. Esta linha de ação extra-muro foi conceituada como Irradiações. O seu sentido de formação e aprendizado foi mútuo –  onde artistas/educadores desenvolveram suas propostas de agenciamentos sócio-culturais juntamente com suas práticas artísticas-pedagógicas, estabelecendo novas aberturas e trocas nas relações entre o museu e cidade. » Irradiações

A importância de formação de artistas e educadores se desdobrou em todas as atividades do Núcleo não somente dentro do museu, mas em comunidades, escolas e também em universidades, através da parceria com o Instituto de Artes da UERJ, sendo o Núcleo um projeto do qual estudantes participaram como Laboratório de Artes Visuais, em 2010.

Ao longo desses três anos, vivenciamos experiências ricas com escolas, explorando novos olhares sobre arte e novas participações nos espaços e contextos do museu – um território (a ser) descoberto. » Visitas em grupo

Em 2011 realizamos um curso para professores em parceira com a 29ª Bienal de São Paulo e colaboramos com o Projeto Autonomia. Em 2012 inauguramos o programa Museu/Escola que buscou aprofundar vínculos com professores através de encontros continuados, grupos de estudos e colaborações aprofundadas com escolas, tais como o projeto-piloto com a Escola Municipal Emílio Carlos em Guadalupe – RJ, apresentado como estudo de caso no seminário Reconfigurações do Público II» Museu/Escola

O programa Diálogos se desdobrou a partir das discussões inauguradas nos seminários internacionais Reconfigurações do público I & II e em 2013 desenvolvemos uma série de conversas focando em temas como acessibilidade, zonas criticas entre ética, estética e pedagogia, e novas perspectivas sobre arte, educação e cidade. Em sua última edição, recuperamos a memória e homenageamos o artista e educador Ivan Serpa e seu papel para história do MAM. » Diálogos

Agradecemos em especial ao Luiz Camillo Osório, curador do MAM, pelo convite e apoio ao longo desta trajetória tão viva e inovadora para todos nós. Da mesma forma, ampliamos nossos agradecimentos a Petrobras que apostou num projeto experimental de educação e arte para o MAM, estando sempre diretamente engajados na partilha desta construção coletiva. Gostaríamos de também reconhecer a parceria com a UNIMED – Rio, Carlos Vergara pelo convite e Vale do Rio Doce que apoiou a inauguração do Núcleo em 2009.

Agradecemos todos que apoiaram e participaram em nossa trajetória.Todos os nossos esforços exploraram e refletiram as buscas por novas possibilidades e sentidos dos museus de arte para a educação no século XXI. Esperamos que essas sementes possam germinar em novos futuros.

O Núcleo Experimental de Educação e Arte

– –
Ao longo dos 3 anos de atividades no MAM, o Núcleo Experimental foi composto por uma equipe de artistas, educadores e produtores culturais, que em diferentes momentos, se dedicaram e contribuíram de maneira significativa para o crescimento e fortalecimento do projeto:

Adriana Fontes, Ana Chaves, Ana Clarissa Fernandes, Anderson Araújo, Anita Sobar, Beatriz Lahora, Bebel Kastrup, Bernardo Zabalaga, Bianca Bernardo, Eduardo Machado, Elielton Rocha, Felisa Perez, Gabriela Gusmão, Gleyce Kelly Heitor, Graziela Mello, Hugo Richard, Ignês Albuquerque, Jessica Gogan, Keyna Eleison, Leonardo Campos (AoLeo), Luiz Guilherme Vergara, Luna Leal, Maíra Dias, Mara Pereira, Renata Montechiare, Sabrina Curi, Sabrina Rosas, Taisa Moreno, Thiago Ortiz e Virgínia Mota.

Anúncios

II Seminário Internacional: Reconfigurações do Público: Arte, Pedagogia e Participação

O II Seminário Internacional Reconfigurações do público: arte, pedagogia e participação dá continuidade à sua 1º edição que reuniu em 2011 colaboradores brasileiros e estrangeiros motivados pela busca por novas perspectivas acerca do papel público dos museus de arte.

Tendo em vista as profundas transformações por que passam os museus na atualidade pretende-se nesta 2ª edição do seminário dar continuidade aos debates e reflexões sobre as questões criticas que envolvem as reconfigurações públicas dos museus hoje. Para isso, serão estudados casos históricos e contemporâneos relativos às convergências entre as práticas artísticas, curatoriais e pedagógicas dentre e fora dos museus com uma perspectiva nacional e internacional.

clique para ampliar

_________________________________________________________________________

INSCRIÇÕES:
Clique aqui para realizar sua inscrição

PROGRAMAÇÃO

8 de novembro

» 14h Abertura
Apresentação dos temas e perguntas geradoras de discussões para o seminário.

■ Luiz Camillo Osorio (RJ) e Marta Mestre (RJ/Portugal), Curadoria do MAM
Luiz Guilherme Vergara (RJ) e Jessica Gogan (RJ/Irlanda), Coordenação do Núcleo Experimental de Educação e Arte do MAM

» 14h30 – 16h30 Passado como pensamento forma: (re)ativando arquivos
Referências críticas para arte, curadoria e educação contemporânea a partir de práticas pioneiras e documentações históricas.

■ Kaira Cabañas (Estados Unidos), Professora e diretora do Mestrado em Artes Moderna, Columbia University
Claudia Zaldivar (Chile), Diretora do Museu de La Solidariedad Salvador Allende
Lula Wanderley (RJ), Artista
■ Moderador: Luiz Guilherme Vergara (RJ), Coordenador do Núcleo Experimental de Educação e Arte do MAM, professor departamento de arte, Universidade Federal Fluminense, co-fundador do Instituto MESA.

» 17h – 19h Reconfigurações do público nas instituições
Novas colaborações entre práticas artísticas, pedagógicas e curatoriais.

■ Sarah Schultz (Estados Unidos), Diretora de educação e curadora de práticas públicas, Walker Art Center
Katie Bruce (Escócia), Produtora/curadora do Gallery of Modern Art
■ Moderadora: Marta Mestre (RJ/ Portugal), Curadora assistente do MAM-Rio

9 de novembro

» 11h – 13h Museu/Escola aprendizagens em rede: processo aberto
Este ano o Núcleo iniciou uma linha de ação piloto que busca refletir e experimentar as possíveismrelações entre museu e escola. Esta mesa pretende apresentar e criar um processo aberto e crítico de planejamento e aprendizagem visando projetar possíveis rumos e iniciativas na relação do MAM com as escolas em 2013.

■ Ana Chaves (RJ) e Gleyce Kelly Heitor (PE), Educadoras do Núcleo Experimental de Educação e Arte
Jorge Luiz Monteiro (RJ), Educador da Escola Municipal Emílio Carlos
Luiz Lima, (RJ), Fotógrafo e educador da Spectaculu – Escola de arte e tecnologia e Anita Sobar (RJ), Artista educadora do Núcleo Experimental de Educação e Arte
Teresa Cristina Gil Mello (RJ), Coordenadora Núcleo de Artes, Copacabana, Espaço de Extensão, Secretaria Municipal de Educação
■ Moderadora: Mara Pereira (RJ), Educadora do Núcleo Experimental de Educação e Arte

» 14h30 – 16h30 Novas curadorias/novas pesquisas: confluências entre curadoria, arte e educação na América Latina
Pesquisas e práticas que poderão oferecer referências pioneiras em educação, arte e curadoria para os desafios contemporâneos.

■ Sofia Olascoaga (México), Curadora/educadora independente
Jaime Cerón (Colômbia), Assessor de artes visuais, Ministério da Cultura da Colômbia
■ Moderadora: Jessica Gogan (RJ/ Irlanda), Coordenadora do Núcleo Experimental de Educação e Arte, co-fundadora Instituto MESA, doutoranda em historia de arte na Universidade de Pittsburgh

» 17h – 19h Formas e contextos alternativos: práticas emergentes em educação e arte no Brasil
Apresentação de exemplos de ações e interfaces desenvolvidas fora das instituições e de contextos tradicionais, ampliando as fronteiras da arte e educação.

■ Heloisa Buarque de Hollanda (RJ), Coordenadora do Programa Avançado de Culturas Contemporâneas e Universidade das Quebradas PACC/UFRJ
■ Mana Bernardes (RJ), Artista, designer e educadora
■ Moderador: Luiz Camillo Osorio (RJ), Curador do MAM

INSCRIÇÕES:
Clique aqui para realizar sua inscrição

_________________________________________________________________________

OBSERVADORES/ENSAÍSTAS
O seminário será acompanhado pelos seguintes observadores/ensaístas, que ao final contribuirão com um texto para a publicação digital:

■ Cayo Honorato (MG), Educador e professor Universidade Estadual de Minas Gerais
Pedro Hussak (RJ), Professor de filosofia Universidade Federal Rural de Rio de Janeiro e do Programa de Pós Graduação Estudos Contemporâneas em Arte, Universidade Federal Fluminense
Tânia Rivera (RJ), Psicanalista, ensaísta e professora de departamento de arte Universidade Federal Fluminense
Túlio Batista Franco (RJ), Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal Fluminense

O seminário convida alunos de pós-graduação para colaborarem com ensaios sobre
as discussões levantadas durante esses dias, que serão avaliados pela coordenação e
selecionados para a publicação digital do seminário. Os interessados devem entrar em
contato através do email: educacao@mamrio.org.br

– –
MAM Rio [Cinemateca] 8 e 9 de novembro de 2012
Entrada franca | Vagas limitadas | Inscrição online

Coordenação: Jessica Gogan e Luiz Guilherme Vergara (UFF) [Núcleo Experimental de Educação e Arte do MAM]
Colaboração: Luiz Camillo Osorio e Marta Mestre [Curadoria do MAM]
Patrocínio: Petrobras
Parceria: Casa Daros, Departamento de Arte UFF, GoMA, Walker Art Center, MUAC, O Museu de la Solidariedad Salvador Allende, Columbia Global Centers Latin America – Rio de Janeiro, Instituto MESA, Observatório de Favelas, Spectaculu
Apoio: Prograd, Pró-Reitoria de Graduação UFF British Council Dirección General de Cooperación Educativa y Cultural de La Secretaría de Relaciones Exteriores do Mexico Ministério de Cultura Colômbia Consejo Nacional de la Cultura y las Artes, Chile
Mantenedores do MAM: Light e Petrobras
Patrocinadores do Núcleo: Petrobras e Unimed-Rio

Basemóvel: encontros e diálogos na mostra Siron Franco

Fazendo parte das ações itinerantes do Núcleo Experimental de Educação e Arte desde dezembro de 2011, a Basemóvel, projeto artístico concebido pelos artistas Vitor Cesar e Enrico Rocha como uma ferramenta conceitual e prática ativadora de espaços de convivência, ganha destaque no salão de exposição do MAM no mês de junho.

Durante o período da mostra Brasil Cerrado de Siron Franco, o dispositivo móvel transforma-se em um espaço de encontros e diálogos entre a equipe de educadores do Núcleo e os visitantes do museu.  Ações como Cuidado e Pertencimento e Carta Coletiva, convidam o público a trocar experiências e a materializar suas idéias e reflexões sobre as diversas formas de (re)conhecimentos do Cerrado e de outras questões trazidas pela videoinstalação do artista.

Em junho, a entrada ao MAM assim como as todas as atividades do Núcleo são gratuitas. A exposição Brasil Cerrado fica em cartaz até sábado 23, do mesmo mês.

Maiores informações:
Exposição Brasil Cerrado
Conheça o projeto Basemóvel Levo Mesa B
Programação completa do Núcleo para junho 2012

Programação – Junho: Rio +20

Entre 12 e 23 de junho, o Núcleo Experimental de Educação e Arte estará com suas atividades voltadas para as questões trazidas pela Rio+20 e mais especificamente, para exposição Brasil Cerrado de Siron Franco, em cartaz no MAM Rio a partir do dia 12.

Serão realizadas ações que pretendem ter a mostra do artista, como ponto de partida e chegada para construção coletiva de percursos por todo o museu, como é o caso do Território Descoberto, visita que relaciona a história, a arquitetura moderna de Affonso Eduardo Reidy, os jardins do paisagista Burle Marx e outras construções da cidade do Rio de Janeiro. Fazem parte da programação também, fóruns de debates, visitas sensoriais e mediações para grupos agendados.

Tendo ainda a sala do educativo como um ateliê de criação, experimentação e ponto de encontro para conversas e instigações, o público será convidado a compartilhar idéias e trocar conhecimentos sobre como o museu pode ser um lugar para pensarmos o mundo.

As atividades do Núcleo, assim como a entrada ao MAM, serão gratuitas durante o período. Acompanhe aqui a programação completa.

 


Serviço
Núcleo Experimental de Educação e Arte  | Programação Junho 2012 – Rio+20
Importante: Gratuito. Vagas limitadas. Distribuição de senhas 30 min antes.
Período: 12 a 23 de junho – de segunda à sexta de 12h às 18h / sábados, domingos e feriados de 12h às 19h
Local: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Av. Infante Dom Henrique 85, Parque do Flamengo, RJ
Pré-agendamento de grupos:  a partir do dia 11 de junho – de segunda à sexta, das 12h às 14h.
Informações:
 Setor educativo do MAM – (21) 2240 4948

Encontros Multissensoriais – Eco do meu corpo no mundo

Como posso ouvir o eco do meu corpo no mundo? Ruídos, vibrações, reverberações… Traçando caminhos, escuto os ensaios musicais que a vida me oferece: nossa sinfonia inacabada. Risco meu corpo no mundo, no mundo me arrisco. O risco da rua, me arrisco a caminhar no escuro… O que guia? Propor uma escuta do que está fora, ouvindo nossas vozes internas.


Os Encontros Multissensoriais do mês de abril realizará uma visita pela exposição Novas Aquisições Gilberto Chateaubriand com foco na obra de dois artistas: Domingos Guimaraens “Risco, 2009” e Tatiana Grinberg “Sobre a distância entre as mãos e os olhos (relax), 2011”. A proposta desta edição é promover um percurso musical com a participação especial do Flautista de Hamelín Contemporâneo, Guilherme de Carvalho e do próprio Domingos Guimaraens, que acompanharão o grupo através da exposição.

Os Encontros Multissensoriais é o programa mensal de acessibilidade do MAM que promove experiências mobilizando os diferentes sentidos e possibilita a cegos ou não o exercício do ver e do não ver, através do toque em obras de arte das exposições e percepções do espaço. Parceria com o Núcleo dePesquisa Cognição e Coletivos – Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFRJ (NUCC) e o Instituto Benjamin Constant.


Serviço
Encontros Multissensoriais: Eco do meu corpo no mundo
Sábado, 28 de abril às 14h00 (excepcionalmente em abril)
Vagas limitadas

Distribuição de senhas no dia, a partir das 13h30, com o setor Educativo do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Ônibus para pessoas cegas e acompanhantes: Alunos do Instituto Benjamin Constant devem realizar sua inscrição diretamente com o setor de reabilitação. Demais pessoas podem realizar sua inscrição diretamente com o setor educativo do museu através do telefone: (21) 2240-4948

O transporte sairá do estacionamento do Instituto Benjamin Constant às 13h00
Avenida Pasteur, 350 / 368 – Urca, Rio de Janeiro.

Textos e Reflexões

As atividades do Núcleo envolvendo os acolhimentos e irradiações de diferentes públicos têm como desafio o alinhamento entre prática e reflexão, poéticas artísticas e compartilhamentos pedagógicos, buscando integrar leituras de vida e da arte. Também podemos reconhecer na integração entre artistas e educadores no Núcleo-MAM, assim como na crescente ação conjunta com a curadoria do museu, um esforço crítico que se alinha  com uma virada internacional de interesses voltados à cidadania, política e ética para as arte e suas instituições.

Dedicamos o espaço Textos e Reflexões no blog para uma construção crítica,  tão necessária sobre esta zona limite de atuação entre práticas artísticas – pedagógicas e de agenciamentos sócio-culturais envolvendo o MAM-Rio e a cidade do Rio de Janeiro. Reconhecemos aqui a necessidade de se construir um projeto crítico de pesquisas, ações artísticas e pedagógicas experimentais envolvendo a reconfiguração “do público”, juntamente com os papéis do artista, do crítico, do educador cultural, dos museus, coleções e curadores.

Reúnem-se aqui reflexões e crônicas experimentais embasadas nas experiências e ações do Núcleo, e ainda, outros textos que podem complementar as leituras desse campo complexo e ampliado da arte no mundo contemporâneo.

Acesse:

 Textos e Reflexões Experimentais

► Crônicas Experimentais