Tremores Metafísicos: Ação-pensamento sobre a obra de Elisa Bracher

“Ontem realizei mais um exercício de olhar mais detalhadamente, do escutar, e sentir… No espaço onde me encontrava havia uma ameaçadora bola de chumbo em suspensão , presa por enormes cabos de aço , o que me fazia afastar mas também me atraía , um paradoxo onde meu olhar paralisava diante de tal tensionamento dos cabos de aço e a pesada esfera. Era a obra de Elisa Bracher.

Enquanto meu olhar percorria este tensionamento, vejo um corpo coberto de tecido negro, saindo numa reentrância entre as paredes de chumbo…E assim começa a ação do Bernardo Zabalaga.

Lentamente ele vai nos envolvendo com seus gestos lentos e sua coreografia cuidadosa. Uma bola de plástico quase do tamanho da enorme bola de chumbo, escorrega do pano preto e estaciona em algum lugar no espaço. Depois vemos os tecidos voadores/plásticos voadores, sendo arremessados incessantemente para o alto , onde acompanhamos e seguimos esse material corcoveando no ar…em seguida segurando numa ponta , Bernardo oferece-a à alguém convidando-o a brincar…

Todos aceitam e interagem com os materiais leves e esvoaçantes, adicionando ao espaço de tensão do peso do chumbo, uma ocupação de leveza e sensibilidade, talvez até mesmo tornando aquele espaço uma metáfora para a estrutura da nossa existência”

Depoimento de Maria Mattos, participante do Ações Móveis
“Tremores Metafísicos” de 11 de fevereiro de 2012.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s